MENSAGEM IMPORTANTE 

A Intrum Portugal informa que estão a circular mensagens de correio eletrónico fraudulentas, que não são sua autoria, nem da sua responsabilidade.
Foram detectadas mensagens falsas num português pouco correto e que estão a usar o domínio intrum.pt. Estas mensagens não tem origem na rede da Intrum - intrum.com. Alertamos que não deve reagir a estes emails, devendo eliminá-los de imediato, sem que haja qualquer tipo de interação - não descarregue anexos nem aceda a links. A Intrum está a desenvolver todos os esforços para conter esta situação, incluindo o alerta às autoridades competentes.

Portugal é o país da Europa que mais defende Educação Financeira nas escolas

De acordo com o estudo, Portugal é o país que mais defende que as crianças devem aprender mais sobre economia doméstica, e coloca-se no topo da tabela com 83%, sendo a taxa mais elevada da Europa.

Para comemorar o Dia Internacional da Família, que se realiza dia 15, a Intrum revela os últimos dados de um inquérito realizado a mais de 24 mil cidadãos, em 24 países europeus, que conclui que a educação financeira das crianças continua a ser um tema que preocupa os pais portugueses.

De acordo com o estudo, Portugal é o país que mais defende que as crianças devem aprender mais sobre economia doméstica, e coloca-se no topo da tabela com 83%, sendo a taxa mais elevada da Europa. Segue-se a Estónia, com 80%, e Irlanda e Finlândia, com 79%. Em contrapartida, França e Bélgica ocupam os últimos lugares da tabela, com percentagens de 58% e 66% respetivamente. A média europeia é de 74%.

Ainda sobre a educação financeira, 69% dos portugueses considera que as escolas têm uma grande responsabilidade quando se trata de educar as crianças na área da gestão financeira, valor este superior à média europeia que é de 57%. Hungria e Roménia são os países com a percentagem mais elevada registando os 70%, em linha com Portugal. Já França destaca-se pela negativa por se encontrar no fim da tabela com uma percentagem de 19%.

Esta preocupação expressa-se noutras conclusões deste estudo, como por exemplo, em Portugal, 90% dos pais tenta ensinar os seus filhos a gerir o dinheiro, registando a taxa mais alta dos países analisados. Áustria, Hungria e Estónia registam a mesma percentagem. No fim da tabela encontra-se o Reino Unido com um valor de 73%. Na Europa, a média é de 83%.