MENSAGEM IMPORTANTE 

A Intrum Portugal informa que estão a circular mensagens de correio eletrónico fraudulentas, que não são sua autoria, nem da sua responsabilidade.
Foram detectadas mensagens falsas num português pouco correto e que estão a usar o domínio intrum.pt. Estas mensagens não tem origem na rede da Intrum - intrum.com. Alertamos que não deve reagir a estes emails, devendo eliminá-los de imediato, sem que haja qualquer tipo de interação - não descarregue anexos nem aceda a links. A Intrum está a desenvolver todos os esforços para conter esta situação, incluindo o alerta às autoridades competentes.

Desconhecimento da nova lei do RGPD pode levar clientes a não aceitar o consentimento de partilha de dados

Desconhecimento da nova lei do RGPD pode levar clientes a não aceitar o consentimento de partilha de dados

O Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia (RGPD) foi a mudança mais importante na regulamentação de privacidade de dados nos últimos 20 anos.

Foi projetado para harmonizar as leis de privacidade de dados em toda a Europa, contudo os resultados do European Payment Report, o relatório anual da Intrum que analisa o comportamento de pagamentos das empresas e do Estado, demonstram que com o novo regulamento a funcionar, apenas 8% das empresas europeias veem um efeito positivo na sua implementação. Já em Portugal o número fixa-se em 7%.

Entrou em vigor em maio de 2018 e substituiu a diretiva e lei de proteção de dados. A poucas semanas da implementação, o estudo da intrum – EPR - revelou que o RGPD era desconhecido para mais de 1 em cada 4 empresas europeias.

Luís Salvaterra, Diretor-Geral da Intrum Portugal realça que “O RGPD foi uma mudança importante na regulamentação de privacidade de dados e trouxe sobretudo mais transparência e mais formalismo”.

Em Portugal, 48% dos inquiridos não sabia qual o impacto que o RGPD teria nos seus negócios e 62% afirmou não saber qual o custo total da implementação das novas normas do RGPD para a sua empresa.

Segundo o estudo, 26% das empresas acreditam que o impacto é negativo e apontam as seguintes razões:

  • Desconhecimento da Lei leva clientes a não aceitarem o consentimento de partilha de dados essenciais à realização de campanhas.
  • Burocracia
  • Aumento de custos
  • Custos de adaptação
  • Mais processos administrativos e novas preocupações

Por outro lado, 9% das empresas, a nova legislação da EU sobre o RGPD afeta positivamente os seus negócios, e o impacto positivo traduz-se em:

  • Aumento da confiança dos clientes
  • Aumento da procura de equipamentos
  • Os clientes sentem-se mais confortáveis com a sua privacidade.
  • Mais trabalho

O Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) é, cada vez mais, um tema imprescindível para as empresas, e por isso, a Intrum organizou, junto dos seus clientes, várias sessões de esclarecimento que consideraram uma excelente iniciativa.