MENSAGEM IMPORTANTE 

A Intrum Portugal informa que estão a circular mensagens de correio eletrónico fraudulentas, que não são sua autoria, nem da sua responsabilidade.
Foram detectadas mensagens falsas num português pouco correto e que estão a usar o domínio intrum.pt. Estas mensagens não tem origem na rede da Intrum - intrum.com. Alertamos que não deve reagir a estes emails, devendo eliminá-los de imediato, sem que haja qualquer tipo de interação - não descarregue anexos nem aceda a links. A Intrum está a desenvolver todos os esforços para conter esta situação, incluindo o alerta às autoridades competentes.

Mais de metade das empresas portuguesas não sabe o custo total que o RGPD terá nas suas rotinas de pagamento

Os resultados do European Payment Report 2018, o relatório anual da Intrum que analisa o comportamento de pagamentos das empresas e do Estado, demonstram que as empresas europeias não estão preocupadas em determinar qual o impacto e o custo total que a implementação do RGPD terá nas suas rotinas de pagamento.

Em Portugal, 48% dos inquiridos não sabe qual o impacto que o RGPD tem nos seus negócios e 62% afirmaram ainda não saber qual o custo total da implementação das novas normas do RGPD para a sua empresa.

Em contrapartida, 27% das empresas europeias inquiridas dizem haver custos envolvidos e estimam que rondem os 50.000 €. O estudo da Intrum revela que a implementação do RGPD custará cerca de 194 mil milhões de euros às empresas.

O Relatório da Intrum, que inquiriu um total de 9 607 empresas, de 29 países europeus, entre 24 de janeiro e 23 de março de 2018, demonstra que o RGPD para 45% dos inquiridos não terá qualquer impacto nas rotinas de pagamento das empresas portuguesas, uma percentagem superior à média europeia, onde 39% tem idêntica opinião.

A Região Central da Europa é que regista a maior percentagem de respostas no sentido de considerarem que o RGPD vai ter um maior impacto nas rotinas de pagamento com 16% de empresas a mostrar essa preocupação. A percentagem mais elevada em relação a toda a Europa, que conta com uma média de 14%.

Luís Salvaterra, Diretor-Geral da Intrum Portugal realça que “O Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia (RGPD) é uma mudança importante na regulamentação de privacidade de dados e foi projetado para harmonizar as leis de privacidade de dados em toda a Europa. Penso que o novo Regulamento traz sobretudo mais transparência e mais formalismo. Nos primeiros tempos pode existir um pequeno impacto, um natural período de adaptação para todos, mas pensamos que a médio longo prazo o impacto será reduzido. Contudo, é fundamental que as empresas portuguesas estejam preparadas para esta nova realidade”.

Contudo, com o novo regulamento já em vigor, apenas 8% das empresas europeias veem um efeito positivo na sua implementação.

De notar ainda que 27% dos entrevistados dizem não ter ouvido falar sobre o RGPD até à realização deste inquérito. Um resultado surpreendente, uma vez que o mesmo foi realizado poucos meses antes da sua implementação na Europa.

Obtenha a cópia do estudo e fique a conhecer melhor os comportamentos de pagamento entre empresas e sector público em Portugal e na Europa.