MENSAGEM IMPORTANTE 

A Intrum Portugal informa que estão a circular mensagens de correio eletrónico fraudulentas, que não são sua autoria, nem da sua responsabilidade.
Foram detectadas mensagens falsas num português pouco correto e que estão a usar o domínio intrum.pt. Estas mensagens não tem origem na rede da Intrum - intrum.com. Alertamos que não deve reagir a estes emails, devendo eliminá-los de imediato, sem que haja qualquer tipo de interação - não descarregue anexos nem aceda a links. A Intrum está a desenvolver todos os esforços para conter esta situação, incluindo o alerta às autoridades competentes.

Um em cada cinco europeus precisa pedir dinheiro emprestado para os presentes de Natal

Para muitos, o Natal significa que o quotidiano é substituído por dias de paz e alegria, junto da família e os amigos. Mas também tem um preço.

Para muitos, o Natal significa que o quotidiano é substituído por dias de paz e alegria, junto da família e os amigos. Mas também tem um preço. O estudo da Intrum European Consumer Payment Report 2018 mostra que 27% de todos os europeus preocupam-se como pagar os presentes de Natal.

Cerca de 32% consumidores europeus, estão convencidos de que gastam mais do que deveriam em presentes de Natal.

Este resultado vem do inquérito anual de consumo pan-europeu da Intrum - European Consumer Payment Report. O inquérito é baseado em respostas de consumidores em 24 países com idades entre 18 e 65 anos.

As conclusões deste ano revelam que um grande grupo de pessoas está realmente a fazer um esforço para comprar os presentes de Natal: 18% dos europeus às vezes precisam de pedir dinheiro emprestado para comprar os presentes de Natal.

Os resultados também mostram que os pais esforçam-se mais. Um em cada quatro, 25%, dos consumidores com filhos menores de 18 anos dizem que precisam de pedir dinheiro emprestado para comprar presentes para o Natal.

Uma consequência dos gastos relacionados com a época de Natal é bem conhecida: 30% dos inquiridos descrevem janeiro como sendo o mês do ano mais difícil em termos financeiros.

“O espírito do Natal pode tornar tentador gastar mais do que podemos em presentes para as pessoas que nos são queridas. Definir antecipadamente um orçamento para as prendas pode tornar mais fácil apenas comprar o que as finanças domésticas permitem, evitando situações constrangedoras quando o mês de janeiro chegar”, diz Anna Fall, diretora de marca e comunicação da Intrum.